APERGS apoiará maior obra de arte urbana de Porto Alegre

Estimular a arte urbana local com reflexões promovidas por murais em prédios e, por consequência, o embelezamento da cidade para que mais pessoas tenham acesso a obras de arte de forma pública. Este é o principal objetivo do projeto que começará a ser executado em Porto Alegre no próximo mês. A “tela” será a lateral norte do prédio sede da Procuradoria-Geral do Estado do RS (PGE-RS) e do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (DAER). E para que a iniciativa seja viabilizada, a APERGS — que foi a primeira entidade a aderir ao projeto e auxiliou na mobilização — será uma das 112 apoiadoras. A conclusão do painel deve ocorrer no início de dezembro, e terá quase 70 metros de altura.

Os artistas Mona Caron (Suíça) e Mauro Neri (SP), muralistas de renome internacional, aceitaram vir a Porto Alegre e presentear a cidade com seus talentos, bem como compartilhar conhecimento com jovens artistas da arte urbana local — propondo reflexões e embelezando a capital gaúcha.

O lançamento oficial do projeto Arte Urbana aconteceu na terça-feira (19), no terraço do prédio que receberá a pintura. A cerimônia contou com a participação de autoridades, representantes de sindicatos, associações, entidades de classe e artistas.
O Presidente Carlos Henrique Kaipper representou a APERGS no evento, quando assinou o termo de cooperação institucional. A Procuradora Fabiana Azevedo da Cunha Barth, integrante do Departamento de Esportes da Associação, também esteve presente. Artistas locais convidaram os(as) presentes a contribuírem com um grafite feito no local.
No discurso de abertura, o diretor da Lappus (Laboratório de Políticas Públicas e Sociais), idealizadora e executora da iniciativa, destacou que este será o primeiro grande mural monumental da cidade. “Quando Mona Caron esteve em Porto Alegre para participar do 2º Fórum Mundial de Bicicleta, em 2013, este prédio foi apresentado a ela. Mona reconheceu que seria um projeto épico, em um local de alta visibilidade ao olhar de toda a população que vem do centro em direção à zona Sul da cidade”, disse Marcelo Sgarbossa, ao agradecer o apoio de todos(as) para viabilizar a ação.

Secretária Estadual de Cultura do RS, Beatriz Araújo, reforçou que “iniciativas assim, além de embelezarem ainda mais a cidade, a tornam mais aprazível”. Diretor-geral do DAER, Luciano Faustino avaliou que com a vontade e apoio conjunto foi possível avançar na iniciativa, que precisou superar desafios técnicos e administrativos.

O Procurador-Geral do Estado do RS reforçou que a iniciativa será um ícone para a cidade de Porto Alegre. “É motivo de muito orgulho e vai ser um símbolo, quem sabe até o início para novos projetos”, destacou Eduardo Cunha da Costa. Em seu discurso, o Procurador-Geral do Estado lembrou que o Presidente da APERGS contatou-o no final do ano passado para contribuir com a viabilização do projeto.
Carlos Henrique Kaipper conheceu a iniciativa ainda em 2013, enquanto ocupava o cargo de Procurador-Geral do Estado do RS. Desde então, ele sempre apoiou a ação, articulando em diferentes frentes a possibilidade de viabilizar o projeto — que agora terá seu desfecho. “Será um grande legado para a cidade e o Estado. Promover a arte e a cultura em espaços que podem ser acessados por todos(as) serve de motivação para que tenhamos mais ações que contemplem toda a sociedade. É uma honra muito especial para nós que a obra seja feita justamente no Prédio do DAER/PGE-RS”, ressalta o Presidente da APERGS.

Nos últimos meses, a Associação e entidades parceiras realizaram diversos encontros virtuais com Mona Caron e Mauro Neri para detalhar o projeto. A mais recente reunião para dar continuidade às discussões aconteceu no dia 14 de setembro. Uma das dimensões da iniciativa também prevê a realização de oficinas com jovens da periferia para criar a cultura da arte urbana.
Sobre os(as) artistas

Mona Caron é uma artista suíça, residente em São Francisco (EUA) e internacionalmente ativa, com foco em pinturas murais de grande escala em espaços públicos. Ela tem sido convidada a realizar encomendas de arte pública para prefeituras de cidades nos EUA, Europa, Ásia e América do Sul, e é contratada também por instituições culturais, escritórios de arquitetura e incorporadoras. Mona também faz obras pro bono em comunidades populares, em contextos de ajuda à sensibilização a problemas vigentes ou para dar apoio a iniciativas locais.

É mais conhecida por seu projeto intitulado “Weeds” (ervas daninhas), que metaforicamente celebra a resiliência de seres que florescem contra todas as probabilidades. Essa série evoluiu em uma proliferação internacional de murais gigantes de pequenas plantas selvagens encontradas crescendo através da calçada em cada local.

Outros temas nos murais de Mona incluem narrativas visuais sobre comunidades locais, centradas na prática de usar a arte para criar interação social, em que os vizinhos de cada mural refletem sobre a história, estado atual, e um melhor potencial futuro da comunidade.
Mauro Neri é conhecido pela frase registrada em seus trabalhos “Ver a cidade”, que pode ser lida também como veracidade. Com origem na periferia de São Paulo, é educador, artista plástico, corresponsável pelo movimentos Imargem, Cartograffiti e Infograffiti: projetos multidisciplinares de arte e educomunicação sobre meio ambiente e direito à cidade.

Formado em licenciatura em Artes Visuais, frequentou a Academia de Belas Artes na Itália. Expõe nas ruas e instituições no Brasil e no mundo. Age a partir das margens, produz na paisagem imagens de gente, de casas e escritas com a palavra “ver” em percursos de acessos para além das fronteiras.

Mona e Mauro têm colaborado em múltiplos projetos em vários países na Europa, EUA e Brasil nos últimos dois anos, inclusive na realização de um duplo-mural de grande escala nos dois lados de um prédio em São Paulo em 2020. A combinação sinérgica e complementar dos dois artistas potencializa as mensagens de ambos.

O objetivo dos artistas é elevar e reafirmar os valores de profundo cuidado da natureza e de todos os seres humanos de forma igual, com obras de arte esteticamente agradáveis que elevam o espírito. A combinação das artes de Mona e Mauro procura ser um apelo para a melhoria da sociedade.