Entrevista com aposentados(as): Helena Beatriz Cesarino Mendes Coelho

Entrevista com aposentados(as): Helena Beatriz Cesarino Mendes Coelho

A APERGS segue sua série de histórias de Procuradores e Procuradoras que encerraram suas carreiras, mas que deixaram legados para o Estado. A história contada nesta edição será de uma colega que buscou sempre a realização do interesse público, com ética e contribuição ao Estado.

Disciplina, responsabilidade, gosto pelo estudo e comprometimento com o trabalho. Assim Helena Beatriz Cesarino Mendes Coelho — que se aposentou no dia 30 de dezembro de 2020 — descreve sua trajetória de exercício diário da profissão na Procuradoria-Geral do RS.

Formada em Direito pela UFRGS e natural de Porto Alegre, Helena ingressou na PGE-RS em 1992. A decisão pela carreira se deu em virtude de sua afinidade com as matérias exercidas na profissão, com ênfase ao Direito Administrativo e Constitucional.

“Tive a oportunidade de defender os interesses da sociedade gaúcha no exercício da função de Procuradora do Estado”, relata, reforçando que sempre pautou sua atuação na defesa e proteção do interesse público. 

A Procuradora atuou nas regionais de Passo Fundo, Pelotas e Gravataí. Quando promovida para a Capital, inicialmente contribuiu na Procuradoria de Pessoal (equipe estatutária). Na sequência, passou para a Procuradoria do Domínio Público Estadual (PDPE), dedicando-se ao contencioso. Em 2000, mudou-se para a consultoria, equipe na qual permaneceu até sua aposentadoria.

Entre os grandes desafios, Helena fala do exercício da coordenação da PDPE, durante a gestão do Procurador-Geral Paulo Torelly. Nesse período, enfrentou diversas questões jurídicas relevantes para o Estado do Rio Grande do Sul — como questões envolvendo pedágios e a fábrica da Ford. Ela também destaca o período em que exerceu a função de Procuradora-Geral Adjunta  para Assuntos Institucionais na gestão do então Procurador-Geral e atual Presidente da APERGS, Carlos Henrique Kaipper, especialmente na implantação da gestão estratégica na PGE-RS.

A colega acredita que as principais marcas de sua trajetória são a disciplina e a dedicação ao trabalho. Explica ainda que a maior parte do tempo exerceu atribuições na consultoria da PDPE – o que sempre lhe exigiu muito estudo e esforço intelectual. “Creio ter deixado como contribuição uma atuação pautada na ética, sempre buscando a realização do interesse público, que, ao fim e ao cabo, é o valor maior a ser perseguido pelos Procuradores do Estado”, afirma.

Agradecendo aos colegas pelos anos de aprendizado e de agradável convívio, especialmente àqueles com quem teve a honra e o privilégio de trabalhar proximamente, Helena Beatriz valoriza as amizades que fez. “Este é um dos legados mais marcantes que se pode carregar”, diz. 

Com a aposentadoria, Helena vai se dedicar em tempo integral à pintura de telas – um hobby para a qual não dispunha do tempo necessário em razão das atividades diárias da carreira.